Tendências para a Black Friday 2021: o que você precisa saber sobre esta data!

Com a pandemia do Covid-19, muitos hábitos de consumo dos brasileiros durante o isolamento social mudaram. O consumo online cresceu, o que impulsionou o e-commerce e as transações digitais.

Segundo uma pesquisa realizada pela Ebit Nielsen, ainda em 2021 é esperado um crescimento de 26% em relação ao ano anterior nas vendas de e-commerce. O setor deve alcançar R$110 bilhões de reais neste ano.

Por isso, vamos discutir alguns pontos importantes relacionados à Black Friday deste ano que devem ser levados em consideração para que a sua empresa esteja preparada para uma das épocas em que o mercado está mais aquecido.

Quando é a Black Friday 2021?

A Black Friday é uma data de “queima de estoques” criada nos Estados Unidos, mas que muitos países acabaram incorporando em seu calendário como um dia de descontos.

No Brasil, a primeira edição aconteceu no dia 28 de novembro de 2010 e foi realizada com diversas promoções online. Desde então, a data é um marco para e-commerces brasileiros.

De forma prática, a data de realização da Black Friday é sempre na última sexta-feira do mês de novembro. Neste ano, ela será realizada no dia 26 de novembro, um mês antes do Natal.

Como preparar seu e-commerce para a BF 2021

Nos últimos anos, temos visto grandes mudanças no comportamento do consumidor. E isso reflete diretamente no consumo de datas em que o mercado está aquecido, como é o caso da Black Friday.

Por isso, acompanhando as tendências do mercado nestes últimos meses de pandemia, confira abaixo, dicas de fatores que você deve olhar em seu e-commerce para esta Black Friday.
Experiência do cliente

Outro fator que o nosso consumidor exige, e deve ser levado em consideração na hora de montar a sua estratégia para a grande data, é garantir uma boa experiência com a sua empresa desde a venda até o atendimento.
É importante que você pense em todas as jornadas que o seu consumidor terá contato com
sua empresa, seja para sanar dúvidas ou enviar alguma sugestão, e não pode ser diferente nessa época do ano.
Entregar uma boa experiência para o consumidor pode ser um grande diferencial nesse momento, além de ser decisivo para que ele se torne um cliente recorrente e fidelizado.
Separei alguns elementos da jornada que devem ser revisados e acompanhados com frequência para manter uma boa experiência para o seu cliente:

Personas: defina muito bem suas personas, ou seja, o perfil de público-alvo que você deseja atingir. Entenda quais são seus hábitos de consumo, onde costumam ir ou fazer em suas horas de lazer. Assim, você saberá como atingir esse público.

Objetivos das personas: entenda quais são os objetivos dessas personas, o que elas buscam.

Mapeamento de touchpoints: os touchpoints são os pontos de contato entre seu consumidor e sua empresa. Veja todos os momentos em que há essa interação.

Mapeamento de pain points: os pain points são os momentos em que o seu consumidor tem dores, ou seja, pontos de atritos que devem ser resolvidos nas interações.

Otimização da jornada: depois de entender quais são os touchpoints e os pain points, veja quais ações precisam ser tomadas para melhorar toda a jornada.

Por fim, em qualquer contato que você venha a ter com o seus clientes, é importante causar uma boa impressão, sobretudo na Black Friday. Então, por exemplo, quando for entregar seu produto, faça uma cartinha à mão, mostre que existem pessoas por trás de toda operação e humanize esse processo.

Prazos de entregas rápidas

As últimas edições da Black Friday revelaram que a opção de frete mais escolhida pelos consumidores que tiveram seus produtos enviados pelos Correios foi Sedex.

Com grandes players no mercado prometendo as entregas mais rápidas do Brasil, chegando a um prazo de até poucas horas após a efetuação do pagamento, ter uma opção de entrega que seja rápida pode fazer com que você se destaque em meio aos seus concorrentes.

A modalidade de uma entrega expressa demonstra agilidade no processo de compra, e os novos consumidores buscam essa rapidez em todos os processos. Uma ótima opção para pequenos lojistas é firmar um Contrato de Comércio Eletrônico com os Correios. Dessa forma, você consegue deixar o custo do frete mais barato na sua loja.
Para fazer o contrato com os Correios, você vai precisar de:

Ter o seu negócio formalizado com um CNPJ.

Mostrar para os Correios que você tem um e-commerce.

Preencher a documentação exigida.

Outra vantagem de ter o contrato com os Correios é a possibilidade de envio através do e-Sedex, que é um tipo de frete mais barato que foi criado para uso exclusivo de lojas virtuais. Os valores de envio através do e-Sedex podem ficar até 50% mais baratos do que o Sedex convencional.

 Por Weslley Costa

Learn More

Torne o processo de vendas mais humanizado no digital!

O processo de vendas passou por diversas mudanças e otimizações ao longo do tempo. As vendas presenciais foram dando espaço para as vendas online, e as lojas físicas dividiram os seus serviços com lojas virtuais e e-commerces.

Tudo isso ocorreu pela mudança nos hábitos de consumo dos clientes, que buscam mais praticidade e agilidade para o seu dia a dia.

Não podemos esquecer da transformação digital, que já acontece há alguns anos, mas tem se intensificado e exigido evolução contínua e adaptação por parte das empresas.

Com toda essa transformação do mercado, o processo de vendas sofreu uma grande alteração, principalmente com a chegada da pandemia, que acelerou a digitalização de muitos comércios.

Porém, com o tempo, o consumidor passou a sentir falta de um atendimento personalizado, humanizado, produtos e serviços que se encaixam em seu estilo de vida, de marcas que se posicionem e estejam atentas a tudo que acontece ao seu redor.

Mas como tornar um processo de vendas digital mais humanizado, aproximar o cliente e continuar entregando bons resultados?

Dicas para humanizar seu processo de vendas

Um fator que precisa ser levado em conta na humanização do seu processo de vendas é a forma como o lead é visto dentro do seu negócio.

Esqueça aquela história de que leads são só números, isso é passado. Para conquistá-los é necessário analisar a fundo suas necessidades e encontrar a melhor maneira de solucioná-las.

Atualmente, além da busca por um bom produto ou serviço, há o desejo de viver uma experiência. E a metodologia do funil de vendas em Y é uma forma de gerar valor para seu público.

Por meio das etapas do funil é possível estabelecer conexão com seus clientes em potencial, mantê-los engajados e estreitar o relacionamento ao identificar o momento certo de apresentar a sua solução e realizar uma venda.

O funil de vendas em Y ainda captura informações valiosas, que podem gerar insights para aperfeiçoar o atendimento e torná-lo ainda mais adequado ao desejo dos consumidores.

Não podemos esquecer que ouvi-los é um ponto crucial para tornar o seu processo de vendas mais humanizado e personalizado. Tente entender o que pode ser melhorado, se o site possui um bom funcionamento, e se os processos são claros.

Mostre que eles estão sendo ouvidos e que cada opinião está sendo considerada. Isso é um grande diferencial.

A interação pode ocorrer em diversos canais, o que importa é mostrar que a comunicação está aberta e, para não afastá-los, evite utilizar uma ferramenta de respostas automáticas.

As vantagens de humanizar o processo de vendas

Humanizar o processo de vendas é se destacar perante a concorrência. Já que ferramentas e chatbots são utilizados para simplificar o atendimento e o tornam robotizado, é possível entregar uma experiência que cative e gere valor para o seu cliente.

Além dos benefícios já citados ao longo do conteúdo, há muitas outras vantagens nessa aproximação com o consumidor.

Com o atendimento personalizado e a atenção voltada para o público, a fidelização ocorre de maneira mais assertiva, pois os consumidores se sentem acolhidos. Assim, incentivam outras pessoas a conhecerem sua empresa, e influenciam indiretamente nos resultados das vendas.

Ao se posicionar de maneira adequada, utilizando uma comunicação que gere conexão e identificação com o público, é possível conquistar destaque, garantindo maior alcance e visibilidade para a marca.

Podemos citar o caso do Nubank, que junto a um novo cartão enviou um presente para o cachorro da cliente. Ou a Netflix, que se posiciona de um jeito único nas mídias sociais. São pequenos gestos que fazem o cliente se sentir especial e ouvido.

Transfira a tomada de decisão para o cliente

Atente-se às mudanças do comportamento do consumidor, que está cada vez mais ativo e não aceita ser diretamente influenciado por marcas ou empresas. Eles querem assumir o controle e tomar suas próprias decisões.

Via Funil em Y

Learn More

Já é hora de planejar a Black Friday?

Faltam menos de dois meses para a Black Friday 2021, mas nunca é cedo demais para começar a se preparar para evitar problemas e dores de cabeça. O evento gringo de megas promoções no comércio chegou ao Brasil e enfrentou bastante desconfiança nos primeiros anos, já que os descontos prometidos não eram muito reais, ou “tudo pela metade do dobro”, como apelidaram os consumidores.
Na metade do mês de agosto, o Instituto Reclame Aqui realizou uma pesquisa com quase 24 mil pessoas que acessaram o site para averiguar a intenção de compra dos consumidores na maior promoção do varejo brasileiro. E apenas 20,5% do total admitiu que vai realizar alguma aquisição na Black Friday, os outros 79,5% disseram que não.
O termo “Black Fraude”, apelido da data comercial no Brasil, foi usado para definir o momento por 48,8% dos consumidores entrevistados. Outros 27,1% afirmaram que não existe Black Friday por aqui e 11% dizem que piorou muito. Apenas 6,9% acham o momento uma boa data pra compra e 6,3% enxergam melhorias nos últimos anos.
As incertezas para com a data, de acordo com Edu Neves, CEO do Reclame Aqui, vêm justamente do histórico frustrante no país. “Nos primeiros anos que a Black Friday estreou, tivemos muito problema de descontos falsos, problema de funcionamento das lojas online, que não suportavam tráfego. Uma sequência de estresses que o consumidor enfrentou”, disse, em entrevista ao Olhar Digital News.
Os problemas podem até ter diminuído com o passar do tempo, mas os descontos não são tão atrativos quanto as pessoas esperam. Edu Neves afirma que a ausência reduções de 50% ou 70% nos preços acontece por causa de como funciona o sistema tributário funciona, embutindo os custos nos produtos. Assim, a Black Friday se tornou uma data importada difícil de ser cumprida.
Mas, fora isso, há também as lojas que não cumprem com as promoções prometidas. Entre as reclamações dos consumidores estão também a ausência de itens iguais nas lojas. Por outro lado, as pessoas aprenderam a enfrentar essas adversidades. De acordo com o CEO do Reclame Aqui, há quem imprima a tela indicando os dados necessários para exigir a correção do que aparecer diferente.
Caso o consumidor ainda assim compre algo, é importante olhar o preço a ser pago, tanto no cartão ou no boleto pela internet como na loja física, para comparar com o anúncio. “Se não for, pode imediatamente pedir que a loja cumpra preço. Caso não faça, a pessoa pode usar o Reclame Aqui ou até ir em busca de seus direitos em um órgão de defesa do consumidor”, explicou Edu Neves.
E se já tiver comprado com os valores corretos, há ainda o direito ao arrependimento feito nas compras online, com o prazo de sete dias. “Em loja física depende da boa vontade da loja, porque você teve contato com o produto e não pode alegar arrependimento”, completou o CEO do site.
Edu Neves alertou ainda sobre o cuidado com golpistas, já que as datas de grandes promoções são as favoritas para esse tipo de prática ilegal. “Não compre de desconhecido. Se não conhece, pergunte a um amigo, pesquise na internet, redes sociais. Veja experiências de outras pessoas, avaliações das marcas. Se não encontrar nada, melhor não comprar. O preço muito agressivo é a primeira arma do golpista”, concluiu.

Confira outros dados da pesquisa sobre a Black Friday:
Ainda na pesquisa do Reclame Aqui, consumidores alegaram que não vão comprar, principalmente, por não enxergar promoções reais. O percentual neste caso foi de 64,4%. Outros 15,4% afirmaram que tudo está caro por causa da pandemia da Covid-19. O orçamento apertado e o gasto em outras promoções também foram citados por parte dos entrevistados, além daqueles que não precisam de nada novo.
Já entre os que vão gastar durante a Black Friday, o preço é o maior atrativo para 72%. As lojas online devem receber 65,3% dos consumidores, enquanto 28,7% vão adquirir produtos em lojas físicas. Há ainda aqueles que vão usar as redes sociais para realizar as compras, com 6,8% direcionados ao Facebook e Instagram e 5,2% ao WhatsApp.
Dois terços já monitoram os preços e, desses, 38,1% faz isso há mais de seis meses. Os produtos mais desejados são os eletrônicos, com 10,5% do total.

Via Olhar Digital

Learn More

Dia das Crianças: 13 dicas para a sua campanha de marketing ter mais resultados em 2021

Falta pouco para o Dia das Crianças! Sua empresa aproveita todas as oportunidades que essa data pode trazer? Lojas físicas, ecommerces e qualquer outro tipo de negócio podem incluir ações de Marketing Digital para aproveitar uma das datas que mais movimentam o comércio no Brasil.

Em 2020, o varejo virtual faturou R$ 3,1 bilhões em vendas para a data – um crescimento de 28% em relação ao ano anterior. O ticket médio foi de cerca de R$ 472. A pandemia de Covid-19 habituou os consumidores às compras online, então é provável que os números continuem altos em 2021, mesmo com a crise econômica.

Assim, pensar na promoção da sua loja online para o Dia das Crianças pode trazer oportunidades para gerar mais negócios. Só que você só vai conseguir ter a chance de aumentar os lucros se começar a agir com antecedência.

Independentemente do segmento de sua empresa, essa é uma ótima época para trabalhar seu branding, conquistar novos clientes, disseminar sua marca pela internet e até mesmo tentar emplacar uma viralização nas redes sociais.

As dicas podem servir tanto para quem oferece serviços ou produtos destinados ao público infantil como para quem é de um segmento sem relação direta com a data, mas que pode aproveitá-la para aumentar o alcance de sua empresa na internet (e consequentemente suas vendas).

1 – É importante se preparar para a data com antecedência

Para conseguir aproveitar o Dia das Crianças, você precisa alinhar sua estratégia, contemplando diversas áreas da sua empresa, o que requer planejamento e tempo. Então, como está a sua preparação? Por exemplo: você fez boas fotos dos seus produtos?

Campanhas de email, anúncios, postagens de divulgação, ambientação da loja, tudo isso exige tempo para ser desenvolvido. Quais dessas ações você já conseguiu colocar em prática? Não precisa ser tudo, mas alguma coisa é legal fazer!

Se você ainda não está com tudo pronto, não se desespere. Ainda dá tempo de correr atrás e potencializar seus lucros com vendas na data, basta saber priorizar!

2 – Pense em combinações de ofertas/presentes

É muito comum que no Dia das Crianças os consumidores precisem de mais de um presente. Pense em pais que têm mais de um filho ou em padrinhos que têm mais de um afilhado. Essas pessoas vão precisar de presentes diferentes e você pode aproveitar a necessidade para incentivá-los a comprar todos os presentes na mesma loja — no caso, a sua.

Faça ofertas com diferentes combinações, como presentes para gêmeos, para menino e menina e até mesmo para diferentes faixas de idade. Reúna todos os produtos que sua loja virtual tem para crianças de diferentes idades e pense em combinações criativas, que façam com que os consumidores comprem tudo na mesma loja.

Há muitas razões para essa estratégia dar certo. Pode ser pelo fato de pagar um único frete, de centralizar o pagamento em um só local ou até mesmo o fato de facilitar a compra.

3 – Ideia de promoção: compartilhamento de fotos do fundo do baú ou dos filhos

Se você pretende criar uma promoção, a hora é agora. Independente do tempo que esteja faltando para o Dia das Crianças, ainda dá para criar uma ação legal e contar com a participação do público.

Você já deve ter visto vários amigos publicando fotos com seus filhos nas redes sociais, certo? Ou, talvez, até você tenha publicado uma, caso seja pai ou mãe. Para aproveitar o momento e aumentar o alcance de sua empresa nas redes sociais, você pode:

✔️ Incentivar os clientes e Leads a enviarem fotos de quando eram crianças;

✔️ Incentivar as pessoas a contarem uma história curiosa da época em que eram pequeninos.

4 – Aproveite o Dia das Crianças mesmo que o seu público-alvo não seja infantil

Oi? Dia das Crianças não é só para a venda de produtos infantis? Sim, esse é o foco da data, mas, de um tempo para cá, notamos que muitas empresas de outros nichos começaram a aproveitar o buzz da data para também aumentar suas vendas.

Como a maioria das datas comemorativas, sempre há alguns nichos que não conseguem encaixar nada do seu mix de produtos como opção de presente para o dia. Mas você pode ser criativo.

Alguns segmentos utilizam a onda do “desperte a criança que há em você” para oferecer ofertas para o público adulto. Outros, conseguem combinar a data com seus produtos, como no exemplo abaixo.

Claro que é melhor conseguir encaixar no post um link direcionado para uma oferta sua, mas, se não der, faça isso do mesmo jeito. Você pode aproveitar a data para, por exemplo, movimentar as redes sociais.

Algumas empresas entram na onda da nostalgia, publicando conteúdos sobre a infância ou até mesmo trocando a foto da fanpage. O mais importante é criar esse laço com a audiência que tem grandes chances de simpatizar com sua marca por causa da imagem e adquirir outros produtos seus em outro momento.

5 – Prepare sua loja e seu site e suas redes sociais com a temática da data

Para entrar no clima, pense em uma decoração temática bem colorida para sua loja — e a estenda para peças gráficas e banners em seu site e redes sociais.

Por exemplo, coloque banners laterais em sua loja virtual e troque a foto de capa e de perfil nas redes sociais para dar destaque a sua ação de Dia das Crianças.

Faça, também, seleções especiais de produto e dê destaque a elas na sua loja física e online para facilitar a escolha dos que ainda estão indecisos.

6 – Planeje a logística de entrega pré-Dia das Crianças

Se você possui um ecommerce, lembre-se da importância de organizar sua distribuição para demandas maiores nos dias que antecedem a data.

Cuidado com atrasos, pois, caso ocorram, podem significar um cliente que não voltará a comprar em sua loja. Deixe claro seus prazos de entrega, se possível oferecendo opções de entrega expressa.

Mesmo que deixe para a última hora, o consumidor não quer correr o risco de não receber a encomenda. A última coisa que mães, pais e avós querem é decepcionar uma criança, deixando-a sem presente.

7 – Ofereça brindes especiais no Dia das Crianças

Você pode aproveitar para vincular sua venda a um brinde interessante para seu público. Mas, para produzi-lo, também precisará de antecedência. Imagine que outras marcas terão a mesma ideia que você e podem deixar para a última hora.

Para conseguir bons fornecedores e valores negociados com antecedência, comece a buscar opções e levantar orçamentos desde já. Que criança não gosta de um brinde?

Lembre-se que adultos também gostam de brindes. Se a sua loja trabalha com várias faixas etárias, que tal oferecer uma lembrança ao cliente que fez a compra para o filho? Ele certamente lembrará da sua empresa em outras datas!

8 – Crie atrativos divertidos e recreação

Garanta uma boa experiência oferecendo um momento de alegria e envolvimento para a criança. Também é uma boa oportunidade de aliar sua loja física à sua presença online! Dê uma olhada na ideia a seguir.

Contrate animadores, recreacionistas, contadores de histórias e maquiadores infantis para garantir a diversão. Pipoca ou algodão doce são bons atrativos tanto para as crianças como para os pais.

Divulgue o evento nas suas redes sociais, criando eventos no Facebook e acionando os seus antigos clientes por email ou WhatsApp. O engajamento será físico e virtual!.

9 – Foque na facilidade de pagamento para o Dia das Crianças

Apesar da escolha do produto ser orientada pela criança, a compra de fato é feita pelos pais, tios e avós. Por isso, ofereça boas condições de pagamento, como parcelamento e descontos especiais, além de diferentes meios, por exemplo cartão de crédito, débito e pagamento via boleto.

É claro que você deve levar em consideração a sua situação financeira atual. Avalie o que é possível fazer, considerando sempre que oferecer mais opções de pagamento pode resultar em mais negócios fechados!

10 – Previna-se contra problemas técnicos e falta de estoque

Ok, você decorou sua loja e preparou promoções e brindes para atrair compradores. Mas nada disso terá efeito se os seus clientes não conseguirem finalizar a compra.

Por isso, certifique-se de que há estoque disponível para uma data comemorativa como essa e teste seu site para evitar problemas técnicos, considerando que receberá muitas visitas.

Verifique a capacidade do seu site para que ele não caia por excesso de acessos e deixe disponível um canal para ajuda ou reclamações.

Se você já fez algum tipo de promoção de Dia das Crianças em anos anteriores, analise o que deu certo e o que deu errado. Podemos extrair informações preciosas de ações passadas, evitando a repetição de erros e potencializando acertos.

11 – Atenção às regras de publicidade para crianças e ações de marketing infantil

Da mesma forma, é importante ter certeza de que o conteúdo da sua campanha é adequado ao público infantil, o que não pode ser assegurado às pressas.

Não adianta você preparar sua campanha com afinco se não estiver atento às regras de publicidade para crianças. Siga-as para que sua campanha dialogue com essa faixa etária da maneira adequada.

A campanha Somos todos responsáveis, coordenada pela Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap), busca difundir boas práticas para a publicidade voltada a crianças.

O site do projeto apresenta argumentos para contribuir com a reflexão sobre o assunto — de forma “baseada em educação, e não em proibição”, segundo o presidente do Conselho Superior da Abap, Dalton Pastore.

Além disso, no site da campanha Somos todos responsáveis estão disponíveis para download diversas cartilhas educativas. São materiais voltados a jornalistas, pais, mães, publicitários, dentre outros. Uma delas, “As leis, a publicidade e as crianças”, traz a legislação voltada para esse público resumida de forma simples e acessível.

12 – Coloque o clima infantil (ou nostálgico) nas suas redes sociais

Sabe quando o 12 de outubro se aproxima e seus amigos começam a colocar fotos irreconhecíveis dos tempos da infância? Você também já deve ter participado da brincadeira, que é muito divertida!

Dá para utilizar o elemento nostalgia também para chamar a atenção para sua marca. Publique fotos de brinquedos antigos, por exemplo, ou outros memes — afinal, são os adultos que vão comprar os presentes.

Para entrar no clima do Dia das Crianças, outra ação interessante é mudar as imagens das suas redes sociais. Algumas sugestões são as fotos de perfil e a imagem de capa do Facebook e a foto do Instagram, substituindo-as por imagens produzidas para a data.

Você também pode fazer posts no Stories e na timeline do Instagram para explorar o potencial visual do aplicativo. Assim, relembra os clientes sobre a data e mostrando suas opções de produtos ou serviços que mais combinam com os pequenos.

13 – Publique um post no seu blog sobre o Dia das Crianças

Se ainda não o fez, publique em seu blog um post sobre o Dia das Crianças. Um texto com dicas de presentes para cada faixa etária pode ser muito útil para as pessoas que estão indecisas. Ele ainda mostra que você entende do assunto e que pode ajudá-las.

Além disso, esse conteúdo contribui para o aumento de tráfego orgânico em seu site durante o período. Isso porque é uma época na qual muitos familiares buscam por presentes de última hora. Não se esqueça de inserir imagens bonitas para chamar a atenção dos leitores.

Via RD Station

Learn More

Como melhorar a experiência do cliente com a sua empresa?

Saber como melhorar a experiência do cliente é um dos segredos para o sucesso de uma empresa.

Sim! Além de bons preços e qualidade nos produtos e/ou serviços, é a experiência vivida pelo consumidor em todas as etapas do seu processo de compra que acaba determinando a imagem que esse tem da sua marca e até a sua fidelização.

Pesquisas apontam que 73% das empresas que têm notas acima da média no quesito experiência do cliente conseguem um faturamento 44% melhor quando comparadas com os seus concorrentes.

Ou seja, esse é um ponto que impacta também na sua lucratividade! Prova disso é que 59% dos consumidores afirmam que não voltam a fazer negócios com uma empresa após uma experiência de atendimento ruim.

Inclusive, uma pesquisa constatou que, para 61% dos clientes, ser bem atendimento é até mais importante do que a qualidade dos produtos ou o preço cobrado por eles.

Em resumo, se você quer vender mais e levar a sua empresa ao topo, saber como melhorar a experiência do cliente é fundamental.

Como fazer isso? Trouxemos 11 dicas incríveis, que são:

1. Conheça profundamente o seu cliente

2. Considere as preferências do seu público

3. Dê atenção a toda a sua jornada

4. Disponibilize diferentes canais de atendimento

5. Ofereça um atendimento humanizado

6. Descubra o ponto de vista do seu cliente

7. Vá além das suas expectativas

8. Capacite o seu time

9. Preze pela satisfação do seu cliente interno

10. Explore os talentos do seu time

11. Forneça as ferramentas adequadas para a sua equipe

Confira agora, em detalhes, cada uma delas e por que melhorar a experiência do seu cliente é tão importante.

Mas, afinal, o que é experiência do cliente? Por que é tão importante?

Ok, estamos aqui falando em como melhorar a experiência do cliente, mas você sabe, ao certo, o que se trata esse conceito?

Experiência do cliente é um conjunto de sensações, percepções e vivências que o consumidor tem da sua marca durante todas as etapas do seu processo de compra.

Ou seja, é a soma de tudo o que ele vive com a sua empresa desde o momento em que a descobre, passando pela conclusão da compra e chegando até o pós-venda.

Para que você tenha uma ideia do quanto a experiência do cliente é importante, grandes marcas desenvolvem projetos especialmente para colocar o consumidor como centro do seu negócio.

Em uma visão geral, saber como melhorar a experiência do cliente é um importante diferencial competitivo que ajuda a sua empresa a:

✔️ Gerar mais fidelização

✔️ Transformar o seu público em embaixadores da sua marca

✔️ Aumenta a sua lucratividade

Como melhorar a experiência do cliente?

Mas não pense que só grandes empresas podem atuar dessa forma. A sua PME também pode se tornar campeã em experiência do cliente

Quer saber o segredo de como alcançar isso? Estas 11 dicas de como melhorar a experiência do cliente podem lhe ajudar!
1. Conheça profundamente o seu cliente

Quando falamos em conhecer profundamente o seu cliente não estamos nos referindo apenas em saber o que ele espera da sua empresa com relação aos seus produtos e serviços.

Aqui, o foco está em, por exemplo, descobrir qual o seu canal de atendimento favorito. Quando isso acontece você consegue alinhar os meios de comunicação oferecidos à necessidade do seu público.

Veja estes dados da pesquisa “Quantificação do impacto comercial do atendimento ao cliente no Brasil” realizada pela Zendesk em parceria com a Dimensional Research®.

De acordo com o levantamento, 38% dos consumidores afirmam que não conseguir falar com o atendimento ao cliente por meio do seu canal preferido contribui para uma experiência ruim.

Para 32%, ter várias opções de comunicação faz parte de uma boa experiência, tanto que 49% querem mais opções para entrar em contato com o atendimento ao cliente.
2. Considere as preferências do seu público

Ainda seguindo por esse caminho, como o seu cliente prefere receber o retorno de um atendimento, por telefone, por e-mail, por WhatsApp ou outro canal?

Em um primeiro momento pode parecer uma informação sem muita importância. No entanto, conhecer as preferências do seu público é fundamental para saber como melhorar a experiência do cliente.

Essas preferências, inclusive, podem se estender para outros pontos de contato. Por exemplo, dentro de uma estratégia de marketing digital, o que os seus clientes esperam receber em suas redes sociais?

É preciso considerar que a proposta dessa estratégia é atrair público e aumentar o engajamento dos seus clientes.

Mas, para isso, é preciso criar conteúdos e campanhas que realmente agreguem valor e respondam às suas principais dúvidas.

3. Dê atenção a toda a sua jornada

Muitas empresas ainda caem no erro de focar apenas em atrair o cliente e fechar a venda.

No entanto, quando estamos falando em como melhorar a experiência do cliente, é preciso considerar todos os pontos de contato entre o consumidor e a sua marca.

Uma maneira de abranger esse caminho por completo é fazendo um mapa da jornada do cliente.

Esse mapeamento consiste em identificar quais caminhos um comprador percorre dentro de cada fase da sua jornada, ou seja, aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração da solução e decisão de compra.

Isso ajuda a descobrir como ele interage com a sua marca, quais canais usa para isso, quais geram mais atritos e conversões etc.

Com base nessas respostas é possível melhorar os seus processos, o que ajuda a aprimorar a experiência do cliente e a aumentar o seu nível de satisfação.

Consequentemente, a imagem da sua empresa melhora, bem com o seu poder de atração e de fidelização.

Também não se pode deixar de lado o pós-venda. Afinal, o relacionamento com o seu cliente não termina quando ele efetiva a compra — ao contrário disso, pode estar apenas começando!

Uma boa estratégia de pós-venda pode lhe ajudar não só a melhorar a experiência do cliente, mas também a:

✔️ Estreitar o relacionamento com a sua marca

✔️ Aumentar as suas taxas de fidelização

✔️ Elevar o nível de confiança com a sua empresa

✔️ Aumentar o tempo de relacionamento entre vocês
4. Disponibilize diferentes canais de atendimento

Lembra que falamos que os clientes consideram ter várias opções de comunicação como parte de uma boa experiência? Por esse motivo é tão importante oferecer diferentes canais de atendimento.

Possibilidades são o que não faltam! Dentro desse conceito você pode oferecer opções como:

Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC); E-mail; Ouvidoria; Autoatendimento; Call center via WhatsApp; Chatbots

Mas se você quer saber mesmo como melhorar a experiência do cliente, todas essas soluções ficam ainda mais interessantes se você as colocar dentro de uma estratégia omnichannel.

O conceito omnichannel consiste em oferecer diferentes opções de atendimento ao cliente que “conversam” entre si, garantindo que essa comunicação seja fluida e livre de interrupções.

É, por exemplo, permitir que o seu cliente inicie um atendimento no e-mail e complemente com uma informação via chat sem precisar relatar tudo novamente.

5. Ofereça um atendimento humanizado

Mas de nada adianta ter os melhores e mais sofisticados meios de comunicação se não prestar um atendimento humanizado ao seu público.

E quando estamos falando em como melhorar a experiência do cliente, esse é outro ponto fundamental.

O atendimento humanizado consiste em tratar o cliente com base na empatia e na exclusividade.

É criar um diálogo atencioso, pelo qual o consumidor percebe que a sua empresa está realmente disposta a solucionar os seus problemas.

Só para você entender um pouco mais a importância dessa abordagem, uma pesquisa da McKinsey mostrou que 70% das experiências de compra têm como principal influência a forma como o consumidor sente que está sendo tratado pela empresa.
6. Descubra o ponto de vista do seu cliente

Além disso, é bem importante saber o que o público pensa sobre a sua marca, produtos, serviços e atendimento oferecido.

Com base no ponto de vista do seu cliente é possível criar ações que melhorem os seus processos e, dessa forma, o atenda de maneira mais completa e satisfatória.

Uma das melhores formas de fazer isso é por meio de uma pesquisa de satisfação. Dentro dessa estratégia é possível, inclusive, direcionar para o que você pretende saber.

Por exemplo, a NPS (Net Promoter Score) é um levantamento que ajuda a mensurar o nível de satisfação dos seus clientes e a sua lealdade. Ou seja, quanto estão dispostos a falar da sua marca para outras pessoas.

Com o NPS é possível identificar três perfis de clientes:

✔️ Detratores: consumidores que tiveram alguma experiência ruim com a sua empresa e, por esse motivo, não a indica para outras pessoas

✔️ Neutros: clientes que não estão insatisfeitos, mas que também não são leais à sua marca

✔️ Promotores: clientes altamente satisfeitos que se tornam embaixadores naturais dos seus produtos e serviços
7. Vá além das suas expectativas

Outra boa dica de como melhorar a experiência do cliente é ir além das suas expectativas. Ou seja, não resumir o relacionamento àquilo que ele buscou inicialmente.
8. Capacite o seu time

Mas para alcançar esse patamar é fundamental que o seu time esteja preparado.

Vendedores, agentes de atendimento, gestores e demais cargos que tenham algum ponto de contato com o cliente precisam estar prontos para melhorar a sua experiência.

A melhor maneira de fazer isso é fornecendo bons treinamentos que abordem não apenas o uso de ferramentas e detalhes dos seus produtos e serviços, mas também enfatizem a maneira como o cliente deve ser tratado e a importância de melhorar a sua jornada.
9. Preze pela satisfação do seu cliente interno

Sabia que a satisfação do seu cliente interno, ou seja, dos seus colaboradores, impacta diretamente na satisfação do seu cliente externo?

O Relatório Zendesk de Tendências da Experiência do Cliente para 2021 apontou que, para mais de 30% dos consumidores, ser atendido por um agente de suporte amigável faz parte de uma boa experiência de atendimento.

O relatório “Por que uma boa experiência do funcionário é a base de uma boa experiência do cliente” confirma esse ponto de vista ao trazer uma constatação da Gartner:

“Funcionários engajados que se dedicam aos seus empregos estão mais dispostos e capacitados a impactar positivamente a experiência do cliente”

Entre as maneiras de aumentar a satisfação dos seus funcionários e, por consequência, a dos seus clientes, estão:

✔️ Oferecer salários justos e compatíveis com as suas funções

✔️ Manter um bom clima organizacional, alinhado com a cultura da empresa

✔️ Fornecer as ferramentas de trabalho adequadas que ajudem a otimizar as suas tarefas diárias
10. Explore os talentos do seu time

Ainda dentro desse conceito de melhorar o dia a dia dos seus colaboradores para aprimorar a experiência dos seus clientes, está a possibilidade de explorar os talentos de cada profissional.

Por exemplo, se você tem um agente que presta excelentes atendimentos no pós-venda, por que não direcioná-lo para essa área do atendimento?

Dessa forma, além de extrair o melhor desse colaborador, você o deixa mais feliz e engajado, o que vai refletir diretamente no relacionamento com o seu público.

Via Zendesk

Learn More

Faça do Instagram, o seu melhor vendedor!

Você tem olhado para as redes sociais na hora de vender os seus produtos?
Como mostra a pesquisa da Locowise, 75% dos usuários do Instagram já fizeram uma ação, como visitar um site, a partir de um anúncio ou publicação. A pesquisa também mostrou que metade dos usuários da rede social seguem ao menos um negócio, e que 60% deles afirmam aprender sobre um produto na plataforma.
Diante de dados como estes, fica claro que buscar saber como vender no Instagram é uma escolha sábia para impulsionar seu negócio.
Além disso, o Instagram é a rede social em maior expansão no país tanto em termos de audiência quanto de engajamento.

Como vender no Instagram?

1. Tenha um perfil comercial
A primeira dica de como vender no Instagram é começar a trabalhar sua base, o seu perfil na rede social. Para ter acesso às melhores funções para uma empresa, o perfil a ser usado deve ser de caráter comercial.
Isso precisa ser levado em conta seja para quem cria o perfil do zero para sua empresa, seja para quem usa o perfil pessoal para os anúncios. No segundo caso, é possível alterar o tipo de perfil e transformar a sua conta pessoal em comercial.
A conta comercial oferece recursos de análise de dados, métrica, impulsionamento e possibilidade de link no stories, além de funções de anúncios e loja que não são permitidas em outras modalidades.
Para isso ter uma conta comercial no Instagram, basta criar uma fanpage no Facebook e vincular com a sua conta do Instagram. Não é possível criar uma conta de negócios sem a Fanpage.
Depois que seu perfil estiver com a função comercial, você deverá fazer algumas otimizações simples. O objetivo dessas otimizações é passar uma boa imagem inicial do seu negócio, para ser capaz de atrair seguidores e testar como vender no Instagram.
2. Use uma boa BIO
Preste atenção à biografia do Instagram. A frase ali descrita deve contar para o seu cliente o que você faz e como pode ajudá-lo. Além disso, a descrição do seu negócio deve ser pensada com a finalidade de conversar com seu público, fazendo-as decidir se vão ou não seguir o perfil e clicar na sua página.
Essa parte é fundamental para quem quer saber como vender no Instagram e alguns pontos que não podem faltar são: o diferencial da marca, o segmento no qual atua e o link do site ou Whatsapp.

3. Foto de perfil
É muito importante que a foto do seu perfil comercial faça referência à empresa.
Pode ser um logotipo ou, caso sua empresa tenha por foco sua própria imagem, pode ser uma foto tirada com uma ar bem profissional, que te mostre como autoridade no assunto.
A decisão sobre usar logo ou foto cabe a você, mas indico que considere seus objetivos na hora da escolha. O motivo é simples: tudo o que mostramos para o público reflete um pedaço do que queremos que ele se lembre quando pensam na nossa marca.
4. Não se esqueça do link para sua loja
A biografia é um dos poucos espaços do Instagram onde pode inserir um link clicável, então não deixe de lado.
Adicione um link para o seu catálogo online ou Whatsapp.
O importante é que você não ignore este espaço de inclusão de link dentro da Bio do Instagram e, nas postagens, faça uma call-to-action (CTA) que chame as pessoas para clicarem na BIO. Os usuários dessa plataforma já conhecem esse tipo de chamada, que costuma ser usada como: “LINK NA BIO”.
5. Crie conteúdo pensando na persona para vender no Instagram
Para destacar a sua marca com o objetivo de vender no Instagram, você vai precisar criar conteúdo pensando na sua persona. Pois é: como o Instagram é uma rede social, espera-se que ali você faça publicações relevantes para a pessoa que está te acompanhando. No caso de marcas, indico que tenha atenção à persona que quer alcançar.
Se você ainda não sabe o que é isso, entenda que a sua persona é um personagem semifictício para quem você vai direcionar todas as suas ações. A partir do momento em que você entende as preferências de consumo da sua persona, fica mais fácil pensar em conteúdos e soluções direcionados para ela.
Ter em mente qual é a sua persona vai ser muito útil, pois sempre que surgirem insights e novidades para te mostrar como vender no Instagram, você vai conseguir pensar em qual é a melhor forma de adaptar a ideia para ele.
Essa forma de se posicionar vai fortalecer a sua marca para se posicionar como referência no nicho do mercado escolhido por você.
6. Poste fotos e vídeos com boa qualidade e descrição
É sempre importante lembrar que o Instagram é uma rede social extremamente visual. Se você quiser saber como vender no Instagram, precisa ter isso em mente.
Para ter sucesso nas vendas por lá, invista em fotos de qualidade excelente para compor um feed atrativo e aproveite os vídeos para explorar as características do produto, como acabamento e proporções.
Vale muito a pena explicar com detalhes modo de usar e vantagens da mercadoria.

Learn More

O que preciso saber antes de fazer um planejamento para redes sociais?

Antes de fazer um planejamento para redes sociais, é importante definir os objetivos do marketing e da empresa como um todo.

Afinal, a estratégia de social media só faz sentido se ajudar a empresa a alcançar seus objetivos: vender mais, ampliar seu alcance, gerar mais Leads ou atrair visitantes para o site, por exemplo.

O planejamento para redes sociais, portanto, é a forma de organizar as ideias e estratégias para que elas cumpram sua função na estratégia empresarial.

Para isso, você deve passar pelos pontos que vamos mostrar agora: público, objetivo, canais, frequência de publicação, conteúdo e monitoramento dos resultados.

1 – Saiba com quem a marca está falando

Redes sociais foram feitas para criar conexões. São poderosas ferramentas de relacionamento entre marcas e consumidores. Então, para se relacionar com as pessoas, você precisa saber com quem está falando. Para isso, o ideal é traçar o perfil da sua buyer persona no planejamento.

A persona é a descrição de um personagem que representa o seu cliente ideal. É com esse personagem que os seus conteúdos vão se comunicar, para abordar os assuntos que a persona gosta, resolver suas dúvidas e necessidades, falar a sua língua e estar nos canais que ela utiliza.

Perceba que a buyer persona vai além do público-alvo, que talvez você já tenha definido para a sua marca.

Enquanto o público-alvo segmenta as pessoas superficialmente, com base em gênero, idade e localização, a persona aprofunda os interesses e comportamentos do público ao longo da sua jornada de descoberta e aprendizado sobre sua marca.

2 – Trace uma estratégia de planejamento para as redes sociais

Se você já sabe com quem está falando nas redes sociais, quais estratégias precisará adotar para se comunicar com a sua persona? A definição de uma estratégia mostra o caminho para alcançar a persona, criar um relacionamento com ela e chegar aos resultados.

Para isso, a estratégia deve começar com a definição de objetivos e metas. Pense no que você deseja alcançar no curto, médio e longo prazo nas redes sociais. Estabeleça metas quantificáveis e mensuráveis para que os indicadores possam mostrar se você conseguiu alcançá-las.

Com os objetivos e metas na mira, defina o caminho para alcançá-los. Analise o contexto do seu mercado, como os concorrentes atuam, como o público se relaciona com as marcas e quais oportunidades você pode explorar nas redes sociais.

Defina quais conteúdos você vai produzir (pagos e orgânicos), quais linhas editoriais vai seguir e como a sua equipe vai se organizar para isso.

3 – Estabeleça os canais, a constância e a frequência

Muitas marcas colocam essa etapa lá no início e definem os canais e conteúdos antes de tudo. Só que a escolha das plataformas depende da definição dos objetivos da estratégia e do perfil da persona, que devem vir em etapas anteriores, como já mostramos.

Cada rede social tem características, formatos e linguagens diferentes, que atendem a diferentes públicos e ajudam a cumprir diferentes objetivos de marketing. Por isso, é importante conhecer cada rede social para escolher plataformas mais alinhadas ao seu planejamento.

Ao definir os canais, você também deve planejar um calendário de publicações que garanta a sua regularidade. As marcas devem ter posts constantes, com um intervalo de tempo adequado entre eles, para não perder o engajamento dos seguidores e mostrar aos algoritmos que estão sempre ativas.

Vale destacar que não existe uma frequência certa de postagens — o importante é avaliar a sua capacidade de produção e testar com o seu público para ver o que funciona melhor.

Via RD Station

Learn More

4 dicas para construir uma audiência no Instagram.

Com mais de 700 milhões de usuários ativos, não há dúvida que o Instagram é importante para seu negócio. Além de divulgar seus produtos e serviços de forma visual, o Instagram pode ser usado para construir uma comunidade de pessoas que conheçam a sua marca e queiram dividir experiências com você. Conheça abaixo algumas estratégias que irão ajudá-lo(a) a construir um relacionamento duradouro com seu público-alvo.

Aqui vão algumas dicas para ajudar você a ter um público engajado no Instagram:

 1) Use o Instagram Stories

Essa funcionalidade do Instagram permite que você mostre mais a sua vida real e os bastidores da sua empresa, o que fará as pessoas se identificarem mais rapidamente com ela. Lembre-se que as pessoas querem fazer negócios com pessoas. Então, aqui é a oportunidade de mostrar o lado humano da sua marca e criar uma conexão imediata com a comunidade.

 2) Seja ativo!

Se as pessoas não comentam nem curtem seus posts, seja proativo e vá você mesmo comentar em outros posts. Descubra perfis que tenham o mesmo público-alvo que o seu e comece a interagir genuinamente com eles. Busque também perfis de influenciadores do seu segmento e comece a se relacionar com eles também.

 3) Use chamadas para ação

Nas suas descrições peça para as pessoas interagirem com você. Pergunte a opinião delas sobre um assunto! Você vai ver como irão começar a responder e interagir com seu perfil.

 4) Tenha uma #hashtag própria

É essencial usar hashtags relevantes, mas é importante também você ter uma hashtag própria e incentivar as pessoas a utilizarem de acordo com o tema escolhido. Incentive os consumidores a postarem seu produto sendo usado com sua hashtag.

Via Agencia B5

Learn More

O que é o fluxo de caixa e como aplicá-lo no seu negócio.

Aprenda a avaliar o fluxo de entradas e saídas de recursos e a disponibilidade de capital de giro na sua empresa.

Nas operações do dia a dia de uma empresa, a organização financeira é fundamental. Para isso, o empresário conta com um instrumento básico de planejamento e controle financeiro, denominado fluxo de caixa.

O objetivo dessa ferramenta é apurar e projetar o saldo disponível para que exista sempre capital de giro acessível tanto para o custeio da operação da empresa (folha de pagamento, impostos, fornecedores, entre outros) quanto para os investimentos em melhorias (reforma da fachada, por exemplo).

Na ferramenta de fluxo de caixa, devem ser registrados:

  • Todos os recebimentos: vendas à vista em dinheiro, cheque, cartões; vendas a prazo, recebimento de duplicatas, entre outros;
  • Todos os pagamentos: compras à vista e a prazo, pagamentos de duplicatas, pagamento de despesas e outros pagamentos;
  • Previstos: recebimentos e pagamentos previstos para o futuro, num período de pelo menos três meses.

Benefícios do fluxo de caixa

Ao elaborar o fluxo de caixa, o empresário terá uma visão financeira do presente e do futuro da empresa.

Dessa forma, o empreendedor pode antecipar algumas decisões importantes, como: a redução de despesas sem o comprometimento do lucro, o planejamento dos investimentos, a organização de promoções para desencalhe de estoque, o planejamento de solicitação de empréstimos, a negociação para dilatar prazos com fornecedor, e outras medidas para que dificuldades financeiras possam ser evitadas ou minimizadas.

A estrutura do fluxo de caixa depende da natureza da empresa e das necessidades do empresário. O resultado do fluxo de caixa é o saldo disponível (em dinheiro existente no caixa, ou depositado em conta corrente nos bancos, etc.) apurado pela diferença entre o total do valor dos recebimentos e pagamentos efetivamente realizados em determinada data ou período.

O saldo final do fechamento de caixa deve corresponder ao valor dos recursos disponíveis no caixa da empresa ou depositados em contas bancárias.

Saldo do fluxo de caixa e controle operacional

O saldo de caixa não indica necessariamente que a empresa está tendo lucro ou prejuízo em suas atividades operacionais. A existência do saldo final deve ser confirmada preferencialmente a cada dia.

É importante saber que saldos diários elevados, tanto negativos quanto positivos, sugerem a necessidade de melhoria da organização financeira.

Caso o saldo apurado seja negativo, deve-se analisar se as despesas estão muito altas e verificar a possibilidade de renegociação dos pagamentos aos fornecedores, entre outras providências possíveis.

Já se o saldo apurado for positivo, pode-se investir esse valor de forma que se obtenha algum rendimento até que seja necessário fazer algum pagamento.

A análise do fluxo de caixa permite traçar estratégias para o crescimento da empresa ou reverter as situações negativas

Saldos negativos devem ser sempre analisados. A primeira providência é descobrir as causas: atraso nos recebimentos, alta taxa de inadimplência, queda repentina nas vendas, etc.

Esse problema também ocorre se as diferenças entre os prazos de recebimentos forem muito maiores do que os prazos dos pagamentos. Nesse caso, planejar e organizar o capital de giro é fundamental. Para evitar problemas no fluxo de caixa é recomendável ter uma reserva de capital de giro.

Via Sebrae

Learn More

Tráfego Orgânico – 8 dicas para atrair seguidores no Instagram.

Um dos maiores desafios de quem possui um negócio digital é aumentar o tráfego orgânico do seu site ou perfil nas redes sociais. No entanto, existem algumas táticas utilizadas por profissionais de marketing que ajudam a aumentar a visibilidade da empresa e atrair mais leads.

Tráfego orgânico é uma estratégia do marketing digital que tem como objetivo atrair mais clientes para um perfil ou site, sem que a empresa precise patrocinar links e anúncios. Tráfego no Instagram são as visitas, visualizações e interações em publicações e stories.

Dicas para otimizar a sua estratégia através do tráfego orgânico

Se você ainda não sabe como gerar leads e aumentar seus seguidores no Instagram através do tráfego orgânico, confira as informações que separamos para você.

1 – Mude sua conta para perfil comercial

Não esqueça de trocar a sua conta para um perfil comercial. Só assim você poderá acessar as métricas, ver informações sobre a empresa e sobre os seus seguidores, e saber os melhores horários para postar.

2 – Cuide do link da bio

Invista numa biografia do Instagram que seja organizada e conte em poucas palavras quem você é. A sua descrição irá atrair o seu público certo e fazê-lo entender qual o seu tipo de negócio. Além disso, insira um link que direcione o seu cliente ao seu site ou página de vendas. Certamente, essa é uma tática que será benéfica tanto para o seu perfil na rede social, quanto no seu site.

3 – Conte histórias reais

Como já mencionamos, o marketing de conteúdo é uma das principais estratégias de atração. Por isso, busque fazer posts interessantes. Além disso, estude sobre storytelling e aprenda a contar histórias interessantes que atraiam a atenção do seu seguidor.

4 – Tenha uma regularidade de posts

Não basta apenas criar bons conteúdos para melhorar o seu tráfego orgânico, como também ter uma certa regularidade nas postagens. Sem isso, sua marca perderá autoridade e não será lembrada pelos seus seguidores. Como consequência, não haverá engajamento.

5 – Utilize hashtags para alcançar mais pessoas através do tráfego orgânico

As hashtags ainda são elementos fundamentais na atração e fidelização de clientes. Através delas, você poderá filtrar os assuntos de interesse do seu público e aumentar a exposição da sua empresa no Instagram.

6 – Tags com preços são importantes

Uma das principais maneiras de afastar um cliente de um perfil no Instagram é não colocar preço nos produtos publicados. Então, as tags são ótimas para levar o cliente à compra, sem que ele mesmo saiba que tem interesse no produto.

7 – Insira call to actions nos textos para ter um bom tráfego orgânico

As CTA’s tem um alto impacto na leitura. Elas provocam a curiosidade do leitor e o estimula a pesquisar e conhecer mais sobre a sua empresa. Por isso, utilize esse recurso com sabedoria.

8 – Conheça os recursos do Instagram

O Instagram é uma rede social repleta de recursos e que oferece ao produtor de conteúdo diversas possibilidades de criação. Então desbrave cada função e ferramenta, como o Reels, IGTV, os Stories, entre outros recursos.

Por fim, todas essas dicas não invalidam o investimento em tráfego pago. Porém geralmente essa estratégia é utilizada nos casos em que a empresa está lançando um produto novo ou uma campanha de marketing. Mas, independentemente do seu objetivo, você poderá combinar as duas táticas e alcançar os seus objetivos.

 

Via Jornal DCI

Learn More